30 de ago de 2015

Resenha

A Seleção



 


Título: A Seleção
Autor: Kiera Cass
Editora: Seguinte
Páginas: 357
Classificação: 5|5

Sinopse

Para trinta e cinco garotas, A Seleção é a chance de uma vida. Numa sociedade dividida por castas, a competição que reúne moças de dezesseis a vinte anos de todas as partes para decidir quem se casará com o príncipe é a oportunidade de escapar de uma realidade imposta a elas ainda no berço. Mas para America Singer estar entre as Selecionadas é um pesadelo. Significa deixar pra trás seu amor secreto Aspen, e sua família para entrar em uma competição onde ela nem queria estar. Sem falar que viver em um palácio sob a ameaça constante de ataques rebeldes não era nem um pouco reconfortante. Então America conhece pessoalmente o príncipe e ele não é nada do que se poderia esperar. America começa a refletir sobre tudo o que tinha planejado para si mesma – e percebe que a vida com que sempre sonhou talvez não seja nada comparada ao futuro que ela nunca tinha ousado imaginar.

Resenha

Primeiramente quero começar dizendo que com toda certeza, a série A Seleção se tornou sem duvidas a melhor que já li, fiquei extremamente envolvida a cada página. O livro conta com uma leitura muito gostosa escrito em primeira pessoa, em que America nos contará como sua vida está prestes a mudar de um dia para o outro.

A história se passa em um futuro muito distante onde a famosa potência mundial é deixada para trás, deixando de ser os Estados Unidos da América e se tornando Illéa. Neste novo cenário, a sociedade é divida em castas de 1 a 8, sendo a casta 1 a realeza e o clero, até chegar na casta 8, onde se encontravam os deficientes físicos e mentais, viciados, fugitivos e desabrigados.

America era uma 5 e vinha de uma família de artistas, onde todos tinham aptidão pra algo diferente relacionado a arte. Diga-se de passagem, America é uma musicista fantástica, toca vários instrumentos e canta divinamente bem. Além disso, ela é ruiva, tem os olhos claros e sem dúvidas é maravilhosa.  

A cada página, a encantadora America Singer me conquistava um pouco mais. Ela é extremamente como eu esperava, uma mistura de coragem e ousadia com um toque de ternura. É até meio clichê a protagonista ser encantadora aos olhos do leitor, porém America conseguiu superar as minhas expectativas. 

Em mundo como o dela, A seleção era um sonho para qualquer garota, porque se casar com um príncipe não é uma coisa que acontece todos os dias. E era também uma chance única para aquelas de castas mais baixas, pois talvez nunca tivessem uma chance como essa outra vez.

Porém ao entrar para a seleção, America seria obrigada a deixar para trás sua família e seu lar, por uma coroa que ela nem quer. E principalmente abandonar Aspen, um jovem de casta 6 que ela mantinha um namoro as escondidas devido as suas diferenças sociais.

Aspen temia não ser capaz de dar a America o futuro que merecia, sem falar que casamentos de moças com rapazes de casta mais baixa que a delas, raramente aconteciam. Devido ao pedido de Aspen e a insistência de sua mãe, ela acabou cedendo e preenchendo o formulário. Nunca pensou que realmente poderia ser escolhida, afinal, milhares de moças iriam entregar seus formulários também. Mas para a surpresa de America, na noite em que foram divulgadas as selecionadas, seu nome apareceu no meio das 35 garotas, e a partir desse momento sua vida nunca mais foi a mesma.

America mantinha certa aversão ao príncipe Maxon, o tinha em sua mente praticamente como uma pessoa repulsiva e não tinha afeição nenhuma por ele. Porém, sua única opção era vestir o uniforme das selecionadas e seguir rumo ao palácio, seu plano era aproveitar a comida até que um dia fosse enxotada de lá.

Mas será que America continuaria pensando assim depois de conhecer Maxon ? Será que suas pretensões continuariam as mesmas ?

Bom, foram essas as perguntas que eu me fiz quando comecei a ler A Seleção, queria saber o mais rápido possível como essa história iria terminar. Não posso entrar muito em detalhes se não vou começar a dar spoilers aqui, mas desde o princípio eu já sabia exatamente de quem gostava e quem eu queria ver fora dali o mais rápido possível. Histórias de amor sempre me comovem e a história de America não foi diferente. Quando eu estava nas últimas páginas já estava desesperada, pois o livro termina de uma maneira tão intensa que não pude esperar um segundo se quer para começar a ler o segundo livro - A Elite - pois aquele gostinho de quero mais não acabava nunca. E a notícia que mais me deixou feliz foi que A Seleção em breve estará nas telinhas do cinema, nem preciso dizer que mal posso esperar pra ver isso acontecer né ? 

Bom, acho que para responder as perguntas que fiz anteriormente, ai vai um trecho dos profundos pensamentos de America:


“A seleção não era mais uma coisa que me acontecia; eu era parte ativa dela. (...)”


 Então...eu não teria tanta certeza de suas pretensões






comentários pelo facebook:

0 comentários:

Postar um comentário